quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

por que cachorro?

Nunca passei um dia sem cachorro. Do alto dos meus 30 anos, não consigo sequer imaginar como teria sido minha vida sem a companhia de meus amados cães. Foram muitos. Quase todos com nome de gente.
Alguns nem eram meus mesmo. Quando vim ao mundo, aquela pequinês preta de luvas brancas já estava em casa. Depois vieram outros, e de cada um me lembro com carinho, amor, saudade. A seu modo, eles me ajudaram a me tornar a pessoa que sou hoje.
Com eles corri, dei risada, fiquei imunda, rolei na grama, peguei chuva, chorei. Esses seres interessantes dividiram comigo momentos felizes e difíceis, para eles e para mim.
Quando converso com meus amigos e surgem os "causos" de cachorros, reavivo minha memória e lembro dos meus companheiros de uma vida. E se somos muitos os amantes dos cães, por que não dividir nossas histórias?
Hoje vivem comigo e meu marido duas adoráveis criaturas que tornam nossos dias mais leves e felizes. Aqui poderei contar as histórias e os "causos" deles e daqueles que já foram habitar as nuvens macias do céu e espalhar pêlos no escritório de São Pedro. Um bom jeito de matar as saudades e homenagear os bichos que fazem nossa existência ser mais humana.

Um comentário:

Rosângela disse...

Bella, eu nunca tinha entrado em blogs e coisas e tais, mas o seu eu não perderia.

Cá estou e não me arrependi um minuto sequer. A Shiva é bárbara!!!! Ri demais das histórias dela. E o Guido é um fofo, um amor, um doce!

Beijos para você, para o André, para as "crianças", e para sua sogra um grande abraço. Ela merece!

Tia Doda